Cotidiano de um Gerente de Projetos

Gerente

Por Vanderlei Ienne, mestre em Ciências da Computação e gerente de projetos.

Para falarmos um pouco sobre a função “Gerente de Projetos”, precisamos voltar um pouco no tempo, podemos citar a construção das Pirâmides do Egito (túmulos construídos em pedra para abrigar os corpos dos reis do Egito Antigo “Faraós”), Muralha da China (maior estrutura militar de defesa, que possui uma extensão de 21 196 (km) quilômetros), Torre Eifel (torre em treliça de ferro do século XIX) ou então a Torre de Pisa (campanário da catedral da cidade italiana de Pisa), o que se entende, é que nestas épocas, já existiam os “GP”, mas poderiam ter outras nomenclaturas de Títulos que eram usualmente conhecidos naqueles tempos como Mestres, Lideres, Chefes, entre outros.

Hoje em dia, o Gerente de Projetos tem como função principal, gerenciar processos e pessoas, que variam de acordo com o levantamento inicial, o “bom” Gerente, tem que lidar com diferentes Projetos e as vezes, trabalhar simultaneamente com projetos distintos, isso se dá, na demanda que lhe é ofertado, para isso, vale usar diversas formas de auxílios, como Cases de Sucesso PMBOK (Project Management Body of Knowledge), Metodologias, Ferramentas, Softwares e como não, a experiências adquirida no decorrer de sua aprendizagem na profissão.

O que muita gente confundi hoje, é o que o Projeto pode ser infinito, mas não entenda mal, pois isso, poderíamos chama-lo de “cotidiano” ou “rotinas”, porque para Projeto, o tempo tem que ser finito, e possuir Início e Fim e ter como objetivo a criação de um produto, serviço ou resultado único (PMBOK 2014).

Os experientes Gerentes têm ainda a opção de se certificarem como PMP (Project Management Professional) e para isso, existe um Instituto PMI (Project Management Institute) que certifica tais profissionais, que passaram na prova de certificação.

Tecnicamente falando, podemos ressaltar que existem 5 fases de um modelo de projeto, que podemos apresentar como:

  • Iniciação
  • Planejamento
  • Execução
  • Monitoramento e controle
  • Finalização

Isso nos dá a ideia, para que um projeto seja finalizado com sucesso, precisaríamos obrigatoriamente passar por estas 5 fases, mas no cotidiano, vários gerentes pulam fases, pois no entendimento do controle deles, algumas tarefas podem ser acopladas em outras, não posso afirmar se isso é viável, mas isso ocorre em alguns casos sim.

Sabemos também, que hoje existem 10 áreas de conhecimento, que visam auxiliar os passos para que o Gerente de Projetos, tenha um caminho a ser trilhado, então para conhecimento, segue estas áreas:

  • Integração
  • Escopo
  • Tempo / Cronograma (6ª edição)
  • Custo
  • Qualidade
  • Recursos Humanos / Recursos (6ª edição)
  • Comunicação
  • Riscos
  • Aquisições
  • Partes Interessadas (Stakeholder)

Também é sabido, que existem 47 Processos do Guia PMBOK (5ª edição), mas esta ficará para uma outra oportunidade, caso haja dúvidas, você poderá fazer a pesquisa na Internet deste assunto.

Gostaria de argumentar sobre a necessidade de estar sempre antenado, as novidades de tudo o que está sendo divulgado sobre Gerenciamento de Projetos (técnicas, processos), pois as novidades, podem auxilia-los na queima de tempo e esforço em futuros projetos, isso quer dizer que, você poderá atuar em 2 projetos similares, em tempos distintos, e assim,  pode ser que a mesma ideia de projeto já feito, tenha que ser manipulada de maneira diferente, isso significa,  que mesmo sendo similar, provavelmente um projeto nunca será igual ao outro, pois terá interferências principalmente de pessoas envolvidas neste projeto (stakeholders), e se você falar que serão os mesmos envolvidos, ok, mas em diferentes situações o ser humano, poderá reagir de forma arbitraria, e o resultado final, poderá não ser o mesmo que foi executado/manipulado no projeto anterior.

E para finalizar, sempre quando for assumir um Projeto, verifique se a Engenharia de Processos (documento inicial de detalhamento do projeto), foi bem elaborada, com as descrições de cada itens/etapas e imagens (mockups) das telas que serão desenvolvidas, pois no final, a falta destes detalhes iniciais, irão prejudica-lo quando for fazer as entregas (sprints), pois é ai, que o cliente poderá cobrar o “algo a mais” e você não terá parâmetros de comparação e nem argumentações para falar, então utilize este tempo, para ter certeza que não haverá dúvidas nestas entregas.

 

 

Deixe uma resposta